O que é?
É a dilatação das veias do cordão que sustenta os testículos do homem.

* Pode ser classificada de acordo com o tamanho; pequena, média ou grande. Quando grande pode ter aspecto vermiforme (como se fosse um saco de minhocas).

* Pode ser apenas de um lado ou bilateral.



Quais as causas?

A varicocele  é causada quando o sangue venoso não flui adequadamente no plaxo pampiniforme. Isso faz que o sangue retroceda, causando inchaço e alargamento das veias. Ela se desenvolve lentamente, são mais comuns em homens entre 15 e 25 anos.

As alterações que ocorrem na varicocele levam a infertilidade.

* A elevação da temperatura escrotal e testicular pode alterar o funcionamento das células produtoras de espermatozoides.




Quais os sintomas?
Geralmente a varicocele só é descoberta por conta da infertilidade, dor escrotal ou aumento do volume escrotal.

* A grande maioria dos portadores de varicocele não tem infertilidade. Mas em alguns casos poderá ser a causa mais importante da redução da qualidade e quantidade dos espermatozoides no sêmen.



Exames a ser feito:

O médico fará um exame clinico, analisando o escroto e os testículos. Mas para o diagnostico mais preciso poderá ser feito uma ultrassom dos  testículos, espermograma com cultura e dosagem hormonal.


 
Varicocele tem tratamento?

Sim, o tratamento é feito de acordo com grau da doença. Após os exames é feito a avaliação do fertilidade do paciente.

Em casos que não tem queixas, nem perda da quantidade e qualidade dos espermatozoides, aconselha-se fazer acompanhamento medico a cada 6 meses.

Já nos casos onde há queixas do dor, deformações ou perda dos espermatozoides, aconselha-se tratamentos, como: cirurgia, terapia sintomática, suspensório escrotal e analgésicos.



Cirurgia:

A cirurgia é realizada  sob anestesia peridural ou raque, onde através de uma pequena incisão, por onde se acessam os vasos varicosos. Tem por objetivo interromper o fluso das veias responsáveis pelo refluxo venoso para o plexo pampiniforme.

A varicocelectomia pode ser realizado por:

* Cirurgia aberta com acesso (Suprainguinal, Inguinal e Infrainguinal)
* Laparoscopia
* Embolização
* Aparelho para hipotermia testicular



Pós-Operatório:

O acompanhamento é realizado trimestralmente com exames clínicos e espermogramas até um ano pós-operatório, pode ocorre até 80% de melhora.



Fonte: Prontuario Idmed