Como muitas sabem passei por 1 FIV e 2 TEC's e esse tratamento (FIV)  é muito doloroso, mexe com nosso emocional, psicológico e financeiro.
 
Há uma semana, uma amiga que tinha feito 2 FIV's pra conseguir engravidar, estava grávida de 21 semanas e perdeu sua princesinha. Pensando nisso, nós decidimos criar uma campanha para ajuda-la a realizar seu sonho de ser mãe, pois ela não tem condições financeiras de fazer outra FIV.



Segue o depoimento dela:


"Minha história é a seguinte, sempre quis ser mãe, me casei com 21 anos em 2001 e desde então nunca havia engravidado, porém em 2010 comecei a investigar as possíveis causas, pois até aí eu achava normal o bb não ter vindo ainda. Fiz vários exames e a principio davam todos normais, com meu esposo deu tudo Ok.
Fiz a Histerossalpingografia e nela descobri a causa da minha infertilidade, tenho trompas enroladas e posicionada pra cima, e seria impossível uma gravidez natural. Fui em 3 médicos especialistas em reprodução humana e todos eles falaram que só engravidaria com uma FIV.
Em outubro 2013 fiz minha primeira FIV coloquei 2 embriões classe A mas infelizmente tive meu primeiro negativo, chorei muito, pensei até que não seria digna de ser mãe. 
Daí em novembro decidi fazer a ultima tentativa pois não teria mais dinheiro pra tentar novamente, coloquei 3 embriões classe A, e para a honra e gloria de Deus consegui minha bonequinha, estava radiante, cada semana era uma comemoração, com 21 semanas comecei a sentir dores nas costas, fui a emergência e lá fui informada que essas dores eram normais e que era o peso do bb.
Ele me passou dipirona pra dor, eu até debati com ele sobre a dipirona, porém ele disse que era isso mesmo, eu acreditei e confiei afinal ele era o "médico" né. Uma semana depois comecei a sentir as dores mais intensas e o remédio não fazia mais efeito.
Senti muita dor, parecia que meus ossos estavam se quebrando todo, fui pra emergência e já estava perdendo muito liquido e saia uma secreção grossa parecendo catarro verde, o medico que me deu o toque disse que ja estava com 4,5 cm de dilatação, tentou ouvir o coraçãozinho dela mas foi em vão.
Eu só sabia chorar e chorar e pedia a Deus que ela viesse com vida, mas infelizmente ela já tinha nascido morta. Isso tem uma semana e 1 dia. A médica disse que poderia ter sido vários fatores, entre ele, infecção, má formação ou uma IIC, mais por ser um aborto tardio era mais provável ser ICC. Ainda sofro muito com a perda, e não tenho condições de tentar mais uma vez." 

A campanha tinha iniciado no grupo Coisas de tentante no Facebook e também na página da Soraia Costa, agora decidi compartilhar aqui no blog.


Dados para depósito:

Banco Itaú
Agencia: 3261
Conta poupança: 00775-5 /500
Nome: Rodrigo Borges Teixeira
CPF: 104.177.307-21


Muitas sabem o alto custo para fazer um tratamento de reprodução humana, então vamos ajuda-la a realizar o sonho dela, qualquer valor já ajuda, caso você não possa fazer uma doação, ajude-a em orações!



O endométrio é  a camada interna do útero, uma região muito vascularizada e cheia de glândulas.  É no endométrio que acontece o sangramento da menstruação.

A adenomiose é a presença de glândulas e tecido endometrial dentro do músculos que forma o útero, no miométrio. Na adenomiose, tova vez que a mulher menstrua, há sangramento na camada muscular do útero, causando irritação na mesma.

As causas ainda são desconhecidas,  algumas teorias sugerem que a doença tenha origem congênita, como se fosse uma má-formação do útero, pode ser uma doença adquirida ao longo da vida ou provocada por lesões no útero por conta de cirurgias.


 
 
Endométrio X Miométrio


Endométrio: É a parede interna do útero, é nela que o embrião se implante e onde se forma a placenta. Durante o ciclo menstrual, o corpo prepara o endométrio para uma possível gravidez, 7 dias antes da ovulação ocorrer, através de estímulos hormonais, o endométrio se transforma, ficando mais espesso e mais vascularizado, pronto para receber o embrião.  Se o ovulo não for fecundado, os hormônios para a proliferação do endométrio cessam e toda aquela parede espessa desaba, ocorrendo  a menstruação.
 
Miométrio: É a camada do útero onde só há musculo. Ele é responsável pela contração uterina durante o parto. Na menstruação, o miométrio também se contrai, ajudando a expulsar os restos de endométrio que desabou. Intensas contrações do miométrio são a causa das cólicas menstruais. 
 


Adenomiose  X Gravidez

Estão relacionadas pelo fato da doença causar a infertilidade, devido a dificuldade de fixação do embrião no útero. Quem tem a doença PODE engravidar! Geralmente ela é descoberta após uma gravidez devido ao estiramento uterino ou através de traumatismos no útero como curetagens e cesarianas.
A doença pode trazer riscos de aborto, por isso deve ter um acompanhamento com o ginecologista após descobrir a gestação.



Adenomiose X Endometriose

São doenças diferentes, porém estão relacionadas. A diferença é que a Endometriose é caracterizada pelo crescimento do tecido endometrial fora do útero, já a Adenomiose o crescimento do tecido endometrial é dentro da parede uterina.


Tipos de Adenomiose

* Adenomiose Localizada: Caracterizada pela presença de glândulas e de tecido endometrial localizado em uma determinada região do útero.
* Adenomiose Difusa: Caracterizada por varias glândulas e tecidos endometrial espalhados por toda parede uterina. 

A Adenomiose pode ser classificada em: Superficial, Intermediaria e Profunda.



Sintomas

* Aumento do útero, causando inchaço abdominal
* Cólicas menstrual intensa
* Infertilidade
* Aumento do fluxo menstrual
* Prisão de ventre / Dor ao evacuar
* Aumento do fluso menstrual

Obs.: Algumas mulheres podem não apresentar os sintomas da doença.



Diagnóstico

Pode ser feito através da observação dos sintomas, mas só é confirmado com exames de imagens, ultrassom transvaginal, ressonância magnética da pelve e histeroscopia diagnostica.



Tratamento

Pode ser feito de acordo com os sintomas da doença.
* Uso de anticoncepcional com progesterona
* Analgésicos ( Para alivio da dor)
* DIU
* Implante Subcutâneos
* Laparoscopia
* Histerectomia total (Retirada do útero)  



Fontes

* MD Saúde
* Tua Saúde