O processo de Injuria Endometrial é habitualmente feito no ciclo anterior ao tratamento.Nesse procedimento utiliza-se um cateter de biópisia de silicone, fino (3 mm de espessura), macio e flexível (pipelle de Cornier) que é semelhante ao cateter de transferência embrionária ou inseminação intra-útero. É um processo rápido e indolor. Na maioria das vezes não ocorrem cólicas ou sangramentos, mas se houver serão de pequena intensidade e a realização do procedimento dura menos que um minuto.Esse tipo de procedimento pode trazer melhores chances de sucesso em se obter uma gravidez. A realização de injúria endometrial já está disponível em várias clinicas  sendo programada a sua execução previamente ao início da indução da ovulação, ou seja, no final do ciclo anterior à estimulação ovariana com gonadotrofinas.


Pesquisas pioneiras de Barash em 2003 demonstrou que a injúria endometrial, usando um cateter de biópisia, resulta em um elevado índice de gestação. Esses pequenos traumas no endométrio aumentam os índices de gestação pois promovem liberação de diversos mediadores químicos como LIF, interleucinas, CSF, histamina, fatores de crescimento, citocinas e outros. Existem publicações recentes que demonstram que a IE duplica ou até mesmo triplica as chances de obter uma gestação.
 
Também pode-se recorrer à injeção intra-uterina do fator estimulante de colônias de granulócitos (G-CSF) durante o processo de estimulação ovariana, sendo que esse procedimento é indolor, simples e sem efeitos colaterais.
Tem sua indicação primordial em casos de falhas de implantação embrionária e em situações de mau desenvolvimento endometrial durante o processo da fertilização in vitro. A vantagem desse método é que a sua utilização pode ser feita durante o ciclo de tratamento sem interferência na resposta ovariana às medicações e sem necessidade de programação prévia. Porém pode se outra opção mesmo para casos rotineiros.
 
 
O fator estimulante de colônias de granulócitos identificado em 1983, é importante em todo processo reprodutivo, parecendo ser essencial para a implantação do embrião. Quando colocado diretamente dentro do útero estimula a produção de leucócitos o que promove uma melhor aderência do trofoblasto (células do embrião e futura placenta) na parede endometrial. Tem sido utilizado para mulheres com desenvolvimento endometrial pequeno ( endométrio fino) e mais recentes para casais com falhas repetidas de implantação em ciclos de fertilização in vitro.
 
 
 
 
 
 

 


2 Comentários

  1. Olá Rê, pode me chamar de Binha.
    Estive durante um tempo pesquisando na net algo que falasse sobre o exame de pipelle (até que me deparei com teu blog), \0/
    Ainda bem, pois ele é super claro e objetivo.
    Nossa, li teu perfil e ao mesmo tempo que me entristeci, me alegrei. Isso mesmo, me alegrei com a tua força. Estava e estou precisando muito de gente como você para me animar e que ajude a tirar forças, se é que ainda existe alguma dentro de mim.
    Tenho 36 anos, portadora de adenomiose, varias aderencias (intestino, bexiga, útero, trompas e ovaries) todos aderidos...
    Retirei um mioma de 9 cm há 03 anos, depois desta cirurgia desenvolvi todas estas aderencias.
    Em setembro/2013, retirei minhas trompas, porque estavam acometidas por hidrossalpinge, aproveitei a videolaparoscopia para retirar um pouco da aderencia e agora só me resta a FIV para conseguir meus tão sonhados filhinhos.
    Estou na luta para engravidar há mais ou menos 15 anos e somente agora tive condições de juntar um dinheiro para dar inicio ao meu tratamento.
    Fiz a implantação de 2 embrioes congelados em 26/02/2014, e o resultado foi negative. Ainda não se sabe ao certo o real motivo de não ter dado certo, se é que tem um motivo para isto, e agora me restam 2 embriões congeladinhos para transferir.
    Estou igual a você, me preparando psicologicamente para isto, tentando cuidar mais de mim, pois te confesso que bate um desespero, medo, MUITO MEDO MESMO!!
    Minha médica optou por fazer a injúria endometrial, e me explicou muito rapidamente que este procedimento pode ajudar e muito na implantação dos embriões. Ela disse que este procedimento ainda está em fase de estudo, mas que já existem muitos casos positivos.
    Bem, me resta, nos resta orar e que venha o melhor de Deus para nossas vidas.

    Forças querida, precisamos disto e fé, muita fé em Deus. Precisamos acreditar que também seremos abençoadas por Ele, na realização de nosso tão grande Sonho, o de sermos MAMÃES.
    Para tua edficação, veja no youtube o testemunho de vida de Bianca Toledo, que igual que tu, era portadora de ENDOMETRIOSE e hoje tem seu filhinho.
    Um beijo grande na barriguina e no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Binha,

      Que história hein???
      Só o Senhor mesmo pra nos dá forças pra continuar nessa luta, não é verdade?
      Agradeço os elogios e aceito sugestões!!
      Eu fiz a histeroscopia com a biópisia do endométrio e deu tudo ok comigo... Realmente é difícil correr atrás de uma enigma, não é? Agora vou fazer uma ressonância da pelve pra saber como andam a endometriose.
      Também tenho aderências pélvicas, mas as minhas estão apenas em uma trompa. Ela é totalmente inclinada pra cima.
      Eu comecei a tentar engravidar a quase 7 anos atrás e só sabe o que é essa luta, quem passa por ela!!
      Te desejo tudo de bom, que Deus te abençoe e realize o desejo mais profundo no teu coração... Se quiser me adc no face, fique a vontade: https://www.facebook.com/re.lima.9
      E qualquer dúvida ou sugestão, fique a vontade!! Beijos

      Excluir