A FIV  é indicadas para casais que tenham problemas com a infertilidade. As indicações para o tratamento é as seguintes:


 Indicações para FIV Femininas: Disfunção ovulatória moderada ou severa; obstrução tubária; falhas de gravidez após cicos de IIU, endometriose.



Indicações para FIV Masculinas:  Défice ligeiro da qualidade do sêmen.



Indução Crescimento folicular: A indução do crescimento folicular com administração de indutores ovulatórios. O crescimento folicular é monitorado por ultrassonografias e através de análises sanguíneas do estradiol, que de acordo com o resultado vai se ajustando as doses dos medicamentos. Geralmente o período de indução dura de 1 a 2 semanas. Há boa resposta quando vários folículos (de 3 a 8 por ovário) atingem 17mm. 



Hiperestimulos: A síndrome do hiperestimulo dos ovários pode ser prevenido com o acompanhamento correto.


Indução da maturação ovocitária e da ovulação:


Administração da hormona hCG ou rLH (injecção única intramuscular) quando os folículos atingem 17 mm. Sob a sua acção, ocorre a maturação genética dos ovócitos e o crescimento final dos folículos até 20-30 mm de diâmetro.

Aspiração dos folículos ováricos:

Por ecografia endovaginal, até 36h após a hCG. Efectua-se sob ligeira sedação endovenosa por anestesista. É uma técnica indolor que demora cerca de 5 minutos por ovário.



Progesterona intravaginal (dia 0)

A progesterona (comprimidos vaginais) prepara o endométrio para a implantação. Na altura da transferência embrionária, o endométrio deve ter uma espessura de 12-14 mm (mínimo de 8 mm) e um aspecto trilamelar na ecografia. Os comprimidos vaginais aplicam-se de 8/8h até à 12ª semana de gravidez. Deve ser interrompida se surgir menstruação ou se o doseamento hormonal da implantação for negativo.


Colheita e preparação dos espermatozóides (dia 0)

Como IIU. Se a colheita falhar, em vez de FIV efectua-se microinjecção (ICSI), com obtenção dos espermatozóides por MESA ou TESA.



Técnica laboratorial da FIV (dia 0):
Numa placa de cultura, colocam-se os folículos e espermatozóides (fracção swim-up) numa concentração de 50.000 por folículo ou por mL. A fecundação e o desenvolvimento embrionário ocorrem in vitro numa incubadora.


Taxas médias de maturidade ovocitária, de fertilização e de desenvolvimento embrionário:


As taxas médias de maturidade ovocitária, de fertilização e de desenvolvimento embrionário pré-implantação são dependentes de factores aleatórios de índole individual (qualidade dos ovócitos e dos espermatozóides) e de espécie (70-80% dos embriões humanos possuem anomalias genéticas) e não das técnicas de RMA.
Maturidade ovocitária: 80% dos ovócitos aspirados.
Fecundação (12-18 h pós-inseminação ou pós-microinjecção, de dia 1: embrião de 1 célula, estádio de pronúcleos ou zigoto): 70%.
Embriões AB ao dia 2 (com 2-4 blastómeros): 60%.
Embriões AB ao dia 3 (com 6-12 blastómeros): 50%.
Embriões AB ao dia 4 (64 blastómeros: mórula): 40%.
Embriões AB ao dia 5 (250 células: blastocisto): 30%.
Embriões AB ao dia 6 (blastocisto eclodido): 25%



Qualidade embrionária:


Embriões de dia 2-4

Excelente (grau A): embriões com blastómeros de diâmetro similar e 0% de fragmentos.
Boa (grau B): embriões com <25% de fragmentos.
Insuficiente (grau C): embriões com 25-50% de fragmentos. Só se devem transferir embriões C na ausência de embriões A/B, porque contêm uma maior percentagem (93%) de anomalias genéticas
Má (grau D): embriões com >50% de fragmentos. Não devem ser transferidos, porque possuem (100%) anomalias genéticas.


Embriões de dia 5-6

Excelente (grau A): massa celular interna atinge pelo menos 2/3 do raio com ausência de células degenerativas; presença de trofoblasto contínuo e fino sem células degenerativas; presença de zona pelúcida fina.
Boa (grau B): massa celular interna 1/3-2/3 do raio com ausência de células degenerativas; presença de trofoblasto contínuo e fino sem células degenerativas; presença de zona pelúcida fina.
Insuficiente (grau C): massa celular interna 1/3-2/3 do raio e/ou presença de algumas células degenerativas; trofoblasto mal diferenciado (descontínuo, ou espesso ou com algumas células degenerativas); zona pelúcida espessa.
Má (grau D): massa celular interna <1/3 do raio; presença de múltiplas células degenerativas; trofoblasto mal diferenciado (descontínuo, ou espesso ou com múltiplas células degenerativas); zona pelúcida espessa.




Dia da transferência dos embriões:


Dia 1: opcional.
Dia 2: se há ≤4 zigotos (0,70x4=2,8);
Dia 3: se há pelo menos 5 zigotos (0,60x5=3);
Dia 5: se há pelo menos 6 zigotos (0,3x6=1,8).


Número de embriões a transferir: 

- Embriões de dia 1: 3-4 se <35 anos, 4-5 se ≥35 anos ou se já efectuou 2 ciclos FIV sem gravidez.
- Embriões de dia 2: 2-3 se <35 anos, 3-4 se ≥35 anos ou se já efectuou 2 ciclos FIV sem gravidez.
- Embriões de dia 3: 2 se <35 anos, 3 se ≥35 anos ou se já efectuou 2 ciclos FIV sem gravidez.
- Embriões de dia 5: 1 se <35 anos, 2 se ≥35 anos ou se já efectuou 2 ciclos FIV sem gravidez.



Taxas de gravidez:

Mulher <39 anos de idade:
6% (embriões de dia 1: ovócitos fecundados, embrião de 1 célula ou zigoto).
19% (embriões de dia 2, com 4 células).
27% (embriões de dia 3, com 8-12 células).
35% (embriões de dia 4, com 64 células ou mórula).
42% (embriões de dia 5, com 250 células ou blastocisto)

Mulher ≥39 anos de idade: 
10-15% menos.
Taxas de gravidez gemelar. 20-25%. Pode ser nula se só se efectuar transferência de 1 blastocisto ou de 1-2 embriões (de dia 2 ou de dia 3).



Transferência de embriões:

Os embriões são transferidos para a cavidade uterina (transferência intra-uterina) num catéter, sob controle ecográfico. É um processo indolor que demora cerca de 5 minutos. Os embriões são libertados 1 cm abaixo do fundo uterino, à saída das trompas. Após a transferência, o catéter é avaliado no laboratório para confirmar que os embriões foram correctamente depositados na cavidade uterina. Nos casos em que não se consegue introduzir o catéter no colo uterino e nos casos em que os embriões não implantam por anomalia molecular dos receptores do endométrio, pode efectuar-se a introdução dos embriões directamente no endométrio (transferência trans-endometrial). Neste caso, a taxa de gravidez é menor devido à reacção inflamatória da picada. Trata-se de um procedimento indolor e sem complicações, efectuando-se sob controle ecográfico.
No tratamento, a transferência de embriões é o passo mais crítico em relação às taxas de gravidez, logo a seguir à qualidade e ao número dos embriões transferidos. A transferência de embriões não corresponde à implantação. A implantação embrionária é um processo natural que ocorre ao 8º dia do desenvolvimento embrionário pré-implantação. Ou seja, se a mulher efectuar a transferência embrionária ao 3º dia, os embriões permanecem na cavidade uterina a desenvolverem-se até ao 8º dia, altura em que, eventualmente, adquirem a capacidade de penetrarem para dentro do endométrio.
Período de repouso após a transferência dos embriões. 30 minutos deitada.
Cuidados após a transferência de embriões. Após a transferência de embriões, a mulher não necessita de permanecer deitada nem de ficar em casa em repouso. Apesar de estarem na cavidade uterina, os embriões não caiem para o exterior porque a cavidade uterina é virtual, ou seja, as paredes tocam-se e não deixam sair os embriões. No entanto, como se trata de um tratamento, numa situação de dificuldade em conceber, os cuidados são geralmente aumentados, ficando a mulher 15-60 minutos em repouso após a transferência dos embriões, e aconselhando-se repouso em casa durante 1 semana. Deve aumentar as horas de repouso diárias, sentada ou deitada; alimentação equilibrada de 3/3 horas, com 1,5L água/dia; abstenção de viagens prolongadas, de desportos basculantes (hipismo, motociclismo, ciclismo, saltos), de relações sexuais e de trabalho de pé prolongado.
Medicação após a transferência dos embriões. Antibiótico profilático, ácido fólico (protecção contra defeitos do sistema nervoso do feto), ácido acetilsalicílico ou corticóide em baixas doses.


Detecção da Gravidez:


Gravidez Bioquímica (implantação). Doseamento sanguíneo da hormona βhCG no sangue ao 12-14º dia após a transferência dos embriões (positiva se ≥20 U). Esta hormona é segregada pelo trofoblasto (células responsáveis pela implantação, secreção da βhCG e formação da placenta) e não pelo epiblasto (células que originam o feto), pelo que, em certos casos (10%), o teste pode ser falsamente positivo, ou seja, ter ocorrido implantação de um embrião sem capacidade de originar um feto.
Gravidez Clínica. Ecografia que avalia a presença de placenta, líquido amniótico e feto com batimentos cardíacos à 5-7ª semana da gravidez. Na espécie humana, existe uma taxa elevada de abortamentos espontâneos do primeiro trimestre (14-18%; expulsão espontânea de embriões com anomalias genéticas ou por defeitos da placenta), pelo que apenas após as 12 semanas (gravidez evolutiva) é que a gravidez é mais segura.


Frequência dos ciclos de tratamento:

De 3/3, 4/4 ou de 6/6 meses, para repousar os ovários. Não deve ser superior a 6 meses, uma vez que a estimulação ovárica cíclica aumenta as taxas de gravidez.


Criopreservação de embriões:

Indicações. Embriões excedentários de FIV/ICSI.
Tipo de embriões passíveis de criopreservação. Só embriões de classe A/B. A criopreservação de embriões excedentários é muito útil para os casais, porque evita uma nova estimulação ovárica da paciente, o que diminui os riscos para a sua saúde e alivia os encargos financeiros da RMA por não necessitar de um novo ciclo de estimulação ovárica. Por geralmente se efectuar uma estimulação suave do ovário, com uma média de 6-8 ovócitos maduros por ciclo de tratamento, quer por se efectuar cultura prolongada de embriões até à fase de blastocisto sempre que tal é possível, a maioria dos casais não tem embriões excedentários para criopreservação. Os embriões excedentários podem não ser criopreservados nos casos em que o casal não deseja a criopreservação ou não deseja outro bebé. A criopreservação de embriões é pouco frequente e os embriões criopreservados são na sua maioria reutilizados pelos casais. Entre 1997-2003, de 3.000 ciclos só 196 (7%) efectuaram criopreservação de embriões (382 embriões). Em 63% dos ciclos de criopreservação, 57% dos embriões foram descongelados e reutilizados após 6 meses, e os embriões restantes foram utilizados pelos casais 3 anos após a gravidez alcançada.
Transferência de embriões criopreservados. Os embriões excedentários criopreservados destinam-se a ser transferidos para o útero da paciente nos 6 meses seguintes em caso de falha de gravidez, ou nos 3 anos seguintes após o nascimento da criança no caso de o casal ter alcançado a gravidez na tentativa.
Taxa de sobrevida na descongelação. 50-70%.
Progesterona intravaginal. Início 5 dias antes da transferência dos embriões.
Transferência de embriões. No dia seguinte ao da descongelação.
Número e qualidade de embriões a transferir, Período de repouso, Cuidados e Medicação após transferência dos embriões, Detecção de gravidez. Como descrito para embriões frescos.
Taxa de gravidez. 10-15% inferior à obtida com embriões frescos.
Taxa de gravidez gemelar. Como descrito para embriões frescos.




Fonte: A P Fertilidade




Muitos filmes tentam transmitir a luta de nós tentantes para as pessoas contando através dos filmes. Vale lembrar que essas histórias são apenas ficção e que a nossa luta vai além disso!  Então vamos deixar de blá blá blá e vê as indicações!! 



1. Procura-se um marido


Conta a história Georgina Scott (Heather Graham) é uma mulher de 33 anos, ansiosa para ter um filho, que manda seu parceiro embora quando fica óbvio que ele não compartilha de seus desejoscmaternais. Mas Georgina descobre que a menopausa precoce é comum em sua família e vai a um especialista acompanhada de sua relutante amiga Clem. Ao saber que seus dias de fertilidade estão contados e seu próximo ciclo será o último, Georgina sai de uma busca frenética e desastrada para encontra rum pai para seu futuro filho. 

Link para assistir: PROCURA-SE UM MARIDO




2. A estanha vida de Timothy Green


Cindy e Jim formam um casal que descobre que não pode ter filhos. Desesperados, elaboram uma lista de desejos de como seria o seu filho ideal e colocam-na dentro de uma caixa que posteriormente enterram nos seu quintal. Após uma noite tumultuosa, encontram uma misteriosa criança com características que se assemelham aquelas descritas na lista e começam a pensar se as suas preces foram ouvidas por alguém.

Link para assistir: A ESTRANHA VIDA DE TIMOTHY GREEN





3. O menino de ouro 




Depois da morte de seu filho, um casal decide adotar uma criança. Enquanto eles tentam se ajustar à nova vida, um dia um garoto aparece inesperadamente na sua porta e suas vidas começam a mudar. 



Link para assistir: O MENINO DE OURO








4. O bebê de outubro



Abrem-se as cortinas, Hannah entra no palco… momentos depois, ela se vê caída ao chão. Todos os exames médicos levam a uma só direção: o difícil nascimento de Hannah. O diagnóstico médico nem se compara à descoberta de quem são seus pais: Hannah foi adotada – após uma tentativa de aborto malsucedida. Perplexa, confusa e irritada, Hannah toma um novo rumo em sua vida na companhia de seu velho amigo Jason. Nessa busca para descobrir seu passado obscuro e encontrar esperança no futuro incerto, ela percebe que a vida pode ir além dos nossos planos e projetos.

Link para assistir: O BEBÊ DE OUTUBRO





5. Desafiando Gigantes



Nunca Desista, nunca volte atrás, nunca perca a fé O PODER DA CRENÇA PROPORCIONA A HABILIDADE DE VENCER. Nos seus seis anos como técnico de futebol americano de uma escola, Grant Taylor nunca conseguiu levar seu time Shiloh Eagles a uma temporada vitoriosa. E ao ter que enfrentar crises profissionais e pessoais aparentemente insuperáveis, a idéia de desistir nunca lhe pareceu tão atraente. É apenas depois que um visitante inesperado o desafia a acreditar no poder da fé que ele descobre a força da perseverança para vencer.

Link para assistir: DESAFIANDO GIGANTES





6. Meu trabalho é um  parto



Thea Clayhill (Lindsay Lohan) é uma jovem assistente que trabalha em uma editora de Los Angeles e cuida sozinha de sua irmã mais nova. Seu chefe Jerry (Parnell) é um tremendo chato e não sai de seu pé até o dia em que na hora de sua demissão, ela diz que está grávida. Com o emprego salvo, Thea também passou a receber mais atenção dos colegas e a gostar da ideia. O único detalhe é que a gravidez é uma mentira


Link para assistir: MEU TRABALHO É UM PARTO




7. Plano B


Zoe (Jennifer Lopez) está cansada de aguardar pelo homem certo. Decidida a ser mãe de qualquer maneira, ela elabora um plano, marca uma consulta e resolve fazer inseminação artificial. Neste mesmo dia conhece Stan (Alex O'Loughlin), que surge como uma possibilidade real de relacionamento. Só que Zoe quer manter o relacionamento no nível da amizade, ao mesmo tempo em que precisa esconder os primeiros sinais da gravidez. Quando enfim revela a verdade, Stan lhe diz que está disposto a encarar a situação.

Link para assistir: PLANO B



8. O que esperar quando você está esperando

Na trama dirigida por Kirk Jones , Holly (Jennifer Lopez) é uma fotógrafa casada com Alex (Rodrigo Santoro) e pretende adotar uma criança. Ele concorda com a ideia, mas a proximidade de receber o bebê faz com que tenha dúvidas se está preparado para ser pai. Wendy (Elizabeth Banks) sempre sonhou com o brilho da gestação e, após dois anos tentando, enfim está grávida. Entretanto, ela e o marido Gary (Ben Falcone) precisam lidar com a rivalidade do pai dele, Ramsey (Dennis Quaid), que está esperando gêmeos com a jovem Skyler (Brooklyn Decker). Jules (Cameron Diaz) apresenta um reality show onde os participantes precisam emagrecer e acaba de ganhar a Dança das Celebridades ao lado do parceiro Evan (Matthew Morrison). Eles mantêm um caso há poucos meses e, sem esperar, ela engravida. Há ainda Rosie (Anna Kendrick), uma moça vendedora de sanduíches que tem relações sexuais com Marco (Chace Crawford), que trabalha como vendedor em outro trailer. Ela acaba engravidando, o que faz com que os dois se aproximem cada vez mais.

Link para assistir: O QUE ESPERAR QUANDO VOCÊ ESTÁ ESPERANDO




9. Ligeiramente grávidos


Para comemorar sua promoção no jornal em que trabalha, Alison Scott (Katherine Heigl) decide sair com suas amigas para dançar. No lugar escolhido, a jovem conhece o embriagado Ben Stone (Seth Rogen), que, entre danças e piadas, conquista a moça por uma noite. Oito semanas depois de dormirem juntos, Ben recebe a inesperada ligação de Alison marcando um encontro para revelar sua gravidez. A partir da notícia, os dois terão que decidir sobre a vida da criança e suportar a estranha tarefa de se conhecerem sobriamente. Comédia do mesmo autor de O Virgem de 40 anos.


Link para assistindo: LIGEIRAMENTE GRÁVIDOS





1O. Juntos pelo acaso


Holly Berenson (Katherine Heigl) e Eric Messer (Josh Duhamel) se conhecem, mas o primeiro encontro deles é um verdadeiro desastre. A única coisa que eles têm em comum é a paixão pela afilhada Sophie (Alexis Clagett/Brynn Clagett). Só que um acidente fatal deixou a menina órfã dos pais e a dupla foi designada para cuidar da pequenina. Obrigados a permanecerem juntos para cuidar dela, eles enfrentam as dificuldades típicas de quem passa a ser pai e mãe de uma hora para outra e começam a se entender melhor.



Link para assistir: JUNTOS PELO ACASO





Espero que tenham gostado do post... :)



O exame da sorologia tem por objetivo dosar dois tipos de moléculas: a IgM e a IgG. A IgM é a molécula que é formada rapidamente no corpo logo após o primeiro contato dele com um bicho (qualquer bicho). É através dessa molécula, formada perfeitamente para aquele determinado bicho, que o corpo organiza o ataque inicial para combater essa determinada infecção. Essa molécula tem como característica ter uma vida curta, assim não durando muito tempo no corpo.
A IgG é uma molécula que demora mais tempo para ser formada, e ela é responsável pelo impedimento da re-infecção por aquele determinado bicho. Ela funciona como soldados especializados no reconhecimento e combate daquele bicho específico, desta forma impedindo que ele cause uma nova infecção, caso entre em contato com o corpo num outro momento.
Existem muitas doenças cujo diagnóstico não é feito pela pesquisa do bicho em si, mas pela pesquisa da presença ou ausência das células que o corpo produz responsáveis pelo combate dessa doença. Esse exame é chamado de sorologia.


Como entender o resultado do exame?

IgM negativo (não reagente) e IgG positivo (reagente): imune: você já entrou em contato com esse bicho, e já criou defesa contra ele. Portanto, você não tem mais que se preocupar com esse problema.

IgM positivo (reagente) e IgG negativo (não reagente): infecção aguda: você está com uma infecção por esse bicho, ou seja, você está entrando em contato com ele pela primeira vez. Converse com seu obstetra sobre quais medidas devem ser tomadas.


IgM e IgG positivos (reagente): indeterminado: não é possível saber há quanto tempo você entrou em contato com esse bicho pela primeira vez. Pode ser há pouco tempo, ou há muito tempo. Converse com seu obstetra sobre quais medidas devem ser tomadas.

IgM e IgG negativos (não reagente): susceptível: você nunca entrou em contato com esse bicho. Portanto, deve se prevenir para que esse contato não ocorra pela primeira vez durante a gravidez.



Fonte: Mulher Saúde





Amoras e amores,


Resolvi  fazer um post falando dos efeitos colaterais do Allurene, lembrando que ele é um medicamento que promete acabar com os sintomas indesejáveis da endometriose, este medicamento custa em torno de R$170 a R$200.  

Encontrei um site que reuni todos os sintomas após o uso do mesmo.



Efeitos colaterais graves:

- Dormências ou fraquezas, especialmente em um lado do corpo;
- Dor de cabeça súbita e grave, confusão, problemas com a fala, visão ou equilíbrio;
- Dor no peito ou sensação de peso, dor que se estende para o braço ou ombros, náuseas, suores, sensação de mal-estar;
- Tosse súbita, chiado, respiração rápida, tosse com sangue;
- Dor, calor, inchaço, vermelhidão nas pernas;
- Enxaquecas;
- Dor de estômago, comichão, perda de apetite, urina escura, fezes cor de barro, icterícia (amarelamento da pele ou olhos);
- Inchaço das mãos, tornozelos ou pés;
- Nódulos na mama 
- Sintomas de depressão (problemas de sono, fraqueza, cansaço, alteração de humor).


Efeitos Colaterais menos graves:

- Náusea leve, vômitos, inchaço, cãibras estomacais;
- Dor no peito ou sensibilidade;
- Sardas ou escurecimento da pele, acne;
- Ganho de peso;
- Problemas com lentes de contato;
- Coceira ou corrimento vaginal, períodos menstruais muito leves;
- Diminuição do desejo sexual


Allurene é um medicamento, NÃO utilize sem prescrição médica!
Ao apresentar estes ou outros sintomas contacte seu médico.


Fonte: Emagrecer TV