O aborto é a interrupção da gravidez até o 5º mês de gestação, pode ser um aborto espontâneo ou provocado. 
O aborto em repetição é quando o casal tem três ou mais perdas gestacionais. 
As perdas gestacionais são mais frequentes entre as mulheres acima dos 35 anos, é nessa faixa etária que aumenta as chances de uma gestação com malformações, o aborto pode acontecer em mulheres de idade inferior.  
Existe dois tipos de abortamento, o precoce; até a 12ª semana de gestação e 0 tardio; até a 20ª semana de gestação. Existe várias causas para o aborto em repetição.



Causas: 

- Genéticas:  Causado por alterações cromossômicas  essas alterações na estrutura ou número dos cromossomos podem ser causadas ou no número dos cromossomos podem ser causadas ao acaso ou induzidas por uma alteração cromossômicas dos pais. As alterações ao acaso não são repetitivas,  já aquelas herdadas dos pais é que se enquadram na repetitividade.  Um exame importante para saber se os pais tem alterações cromossômicas é o cariótipo, ele mostra a estrutura e número dos cromossomos. 

- Uterinas: Problemas na cavidade uterina pode impedir a implantação e crescimento da gestação. Miomas, pólipos e inflamações se encaixam nos problemas para que essas gestações não evoluam. Um exame que pode analisar a cavidade uterina é a histeroscopia. Abortos tardios estão relacionados a malformações uterinas: útero didelfo; útero bicorno; útero septado ou incompetência cervical.


- Autoimunes:  Ao decorrer da vida o indivíduo pode desenvolver  anticorpos contra os próprios tecidos ou órgãos. Essa alteração pode dá origem a doenças autoimunes, como lúpus.  As doenças autoimunes podem ser assintomáticas, mas na gravidez pode apresentar sintomas. 


- Trombofilias: As trombofilias são as causas de muitos abortos em repetição até a 12ª semanas de gestação.  A trombofilia são caracterizadas por promoverem alterações na coagulação sanguínea que aumentam risco de trombose. As trombofilias podem ser adquiridas ou hereditárias. O tratamento para trombofilia é feito com a administração de anticoagulantes durante a gestação. 


- Imunológicas: A gestação é formada pela junção de componentes genéticos do marido e da mulher. Quando uma gestação se inicia, o feto passa a fazer parte do organismo da mãe, como um órgão transplantado. Quando o sistema imunológico da mãe entra em contato com um corpo estranho (feto) desenvolver anticorpos específicos. O tratamento é sensibilizar a mãe com antígenos do marido, as famosas ILP (Injeção de Linfócitos Paterno) antes da gravidez, para que ela crie anticorpos e reconheça o embrião quando ele for implantação no útero. 



- Hormonais e Infecciosas: Toloxoplasmose e outras infecções podem ser a causa de abortos em repetição.






Deixe um comentário