O escape menstrual ocorre quando pequenas quantidades de sangue passam através da vagina. O sangue pode ser encontrado na roupa de baixo, mas é mais visível no papel higiênico depois de urinar ou evacuar. O sangue é, geralmente, rosa, marrom ou vermelho claro. Algumas mulheres tem o escape durante momentos distintos do seu ciclo menstrual, algumas antes da menstruação, outras alguns dias depois, e há algumas que percebem no meio do ciclo. Às vezes, o sangramento dura por horas, às vezes por alguns dias, podendo acontecer uma única vez ou todo mês. A causa do escape menstrual varia de mulher para mulher, mas caso esteja acontecendo todos os meses por mais de 12 meses, procure seu médico. O escape pode acontecer nas seguintes ocasiões: 



Sangramento por implantação ou Nidação:  Algumas mulheres presenciam um pequeno sangramento vaginal de 11 a 12 dias após conceberem, perto da época que menstruariam. O sangramento por implantação pode ocorrer quando o óvulo fertilizado se prende ao forro rico em sangue do útero feminino. Esse sangramento geralmente é rosa claro ou marrom e não dura mais do que dois dias.



Uso de anticoncepcionais:  Algumas mulheres tem sangramentos quando estão usando pílulas anticoncepcionais. Pode levar alguns meses até que o ciclo menstrual da mulher se estabilize quando começar a tomar anticoncepcionais. Esse tipo de escape ocorre quando existe desequilíbrio entre o estrogênio e a progesterona no corpo. Apesar de uma mulher passar por sangramentos entre os ciclos quando ela começar na pílula, ele diminuirá com o tempo. Algumas mulheres podem apresentar hemorragias ao usar o contraceptivo por vários anos seguidos. Isso ocorre porque os hormônios que são usados ​​para fazer pílulas anticoncepcionais podem enfraquecer e diluir o revestimento do útero, causando o escape menstrual.



Gravidez ectópica: A gravidez ectópica pode causar sangramento, geralmente pesado, e acompanhado de dores abdominais. Essa gravidez ocorre quando um óvulo fertilizado se implanta do lado de fora do útero. Durante uma concepção normal, o óvulo viaja através da trompa de Falópio e se implanta no útero, mas quando a trompa está danificada ou bloqueada, ele fica "preso" dentro e começa a crescer. Com o tempo a trompa é esticada e acaba causando o sangramento vaginal.



Miomas uterinos: Os miomas uterinos, são tumores não cancerosos no útero, podem causar escape menstrual. Esses tumores geralmente aparecem durante a idade fértil da mulher e podem ser causados por excesso de estrogênio e progesterona no corpo. O sangramento vaginal ocorre quando os miomas crescem dentro da parede do útero, podendo ser pesado em alguns momentos e leve em outros. Se não for tratado, o sangramento aumentará ao longo dos meses e anos e o mioma continuará crescendo.



Câncer de endométrio: Cerca de 90% da população com câncer de endométrio tem sangramento vaginal anormal entre os períodos menstruais. Esse câncer começa no revestimento do útero e se espalha para os outros órgãos reprodutivos. Por tornar mais denso o revestimento do útero feminino, acredita-se que o aumento dos níveis de estrogênio podem incentivar o crescimento do endométrio e do câncer. Nos estágios iniciais, a quantidade de sangue pode variar de escapes claros ou marrons até um sangramento similar a uma menstruação leve.



Clamídia: A clamídia é outra causa do escape menstrual. Ela é uma doença infecciosa bacteriana sexualmente transmissível que pode afetar a vagina, nuca, ânus, uretra, olhos e garganta. É transmitida através do sexo oral, pela vagina ou pelo ânus. Enquanto que algumas mulheres não sabem se têm a infecção, outras presenciam uma mudança na cor ou textura do seu corrimento vaginal, sangramento irregular ou escapes. Mulheres que contraíram clamídia podem notar sangramento no meio do ciclo ou após o sexo. Esse tipo de mancha ocorre quando o útero fica inflamado e se espalha para a nuca, trompas de Falópio e reto. 



Sexo na gravidez: O fluxo de sangue para a vagina e para o colo do útero aumenta e pequenos vasos podem romper após uma relação sexual ou esforço físico maior, sem riscos ao bebê. 



Técnicas de Reprodução assistida: Mulheres que fazem FIV estão mais sujeitas a pequenos sangramentos no início a gravidez, em especial quando um dos embriões implantados não vinga. 



Medicamentos anticoagulantes: Em alguns casos de mulheres com risco de aborto espontâneo os médicos receitam heparina ou aspirina, que favorecem a ocorrência de pequenos escapes.



O que devo fazer se notar um sangramento vaginal? 
Se você tiver com pouco sangramento de cor vermelha ou amarronzada  procure seu médico, para que você seja examinada. Se você estiver com sangramento forte, se sentindo mal ou com dor, vá ao pronto-socorro imediatamente. 



É normal ter escapes no início da gravidez? 
É bastante comum, mas não é normal. Frequente nos 3 primeiros meses, as vezes causado por algo sem importância. Mas o melhor é conversar com o médico e tentar descobrir a causa do escape. Provavelmente ele recomendará repouso por alguns dias e não manter relações sexuais até o sangramento sessar. 




Fontes:
http://www.ehow.com.br/causas-escape-menstrual-lista_9382/
http://brasil.babycenter.com/a1500519/sangramento-de-escape-spotting















Olá, me chamo Katya, tenho 28 anos, sou casada a 4 anos, mas estamos juntos a 9 anos, meu marido se chama Anderson, tem 34 anos. A 5 anos e meio decidimos morar juntos e desde então deixamos de nos cuidar... Em outubro de 2008 fiquei grávida e tive um aborto espontâneo em novembro. Todo ano passava por Go e faziam exames que estavam tudo normal, mesmo eu tendo dores horríveis todo mês, fluxo intenso de 6 a 7 dias. Em 2010 em uma us de rotina foi descoberto um cisto no ovário esquerdo, que os médicos diziam ser hemorrágico, comecei com o AC para tratar esse cisto, porém não tive resultados. Então comecei a passar de médico em médico para ter outras opiniões, até que em 2011 diagnosticaram com endometrioma. Nesse tempo todo ainda tentava engravidar, consegui algumas vezes e antes de 5 semanas abortava. Meu marido também fez vários exames, os médicos falavam também está normal, até que a médica diagnosticou com baixa produção de espermatozoides e nos encaminhou para um urologista, que acabou nem querendo tratá-lo e nos aconselhou a procurar especialistas em infertilidade. Começamos a buscar por respostas e através de vários exames e fui diagnosticada como portadora de endometriose e hipotireoidismo. Meu marido com baixa produção e qualidade de espermatozoides, com menos de 1 milhão com apenas 14% considerados bons e uma falha no DNA. Então partimos para nossa primeira FIV em outubro de 2011, morávamos no litoral de SC e viajávamos dia sim dia não para Curitiba. Conseguimos nosso positivo e mais uma vez o bebê parou de desenvolver antes de 5 semanas. Depois disso começamos um tratamento com vitaminas, após 6 meses meu marido teve uma boa melhora, passou para 7 milhões com 20% de espermatozoides bons. Eu passei por uma especialista em endometriose que resolveu que seria melhor fazer uma videolaparoscopia, que foi realizada em 2012 para a retirada do endometrioma e dos pequenos focos nos ligamentos do útero, um mês depois da cirurgia partimos para a segunda FIV, não tivemos sucesso, porém ficaram 3 embriões congelados. Ao mesmo tempo dessa ultima FIV saiu a transferência do meu marido para Curitiba, então resolvemos fazer primeiro a mudança e nos estabelecer na cidade para depois fazer a TEC ( Transferência dos embriões congelados). Final de janeiro de 2013 começamos a nos preparar para a TEC, no dia 04/02 fiz a transferência de 03 blastocistos e no dia 18/02 tive meu positivo!! Com beta de 680 mUI e uma semana depois o beta subiu para 12.400 mUI, ainda estou meio anestesiada, pois posso está grávida de gêmeos! Com tudo isso aprendi e digo a todas: Jamais desista de lutar pelo seus sonhos, por mais que te digam que você está louca e obcecada por ele. Deus tem sabe dos teus planos, mas precisamos correr atras e não ficar esperando que tudo caia em nossas mãos. Deus não planta um sonho em nosso coração sem que ele planeje realizá-lo.
Mensagem para a Katya: Concordo com vc, Katya!! Deus conhece nosso coração, nossos sonhos, nossos medos e ele com certeza não colocaria um sonho no nosso coração, sendo ele impossível!! 
Fiquei muito feliz pelo seu positivo!! Passamos juntas pela mesma esperar e ansiedade para fazer o beta e hoje estamos grávidas e felizes!!! 
Que Deus possa está abençoando essa sementinha que cresce ai, alias, as sementinhas!!! Feliz demais por vc! 
Beijos